quarta-feira, 4 de abril de 2018

Quem são os campeões dos jogos de tabuleiro modernos? - opinião por Micael Sousa

Na última Leiriacon, em contacto com a imprensa generalista que pretendia cobrir o evento, surgiu um pedido por parte dos jornalistas que me deixou a pensar. Queriam falar com um campeão de jogos de tabuleiro. Pareceu-me estranho o pedido. Mas para quem esteja fora do mundo dos jogos de tabuleiro modernos talvez seja um pedido mais do que óbvio. Se centenas de pessoas se juntavam naquele evento de jogos, em que passam dias a jogar, não faria sentido falar com os campeões? De uma forma ou de outra, alguém se deve destacar a ganhar mais partidas.

autor: Alexander Zudin
Fonte da imagem: http://www.irancartoon.com/gallery-of-cartoons-by-alexandr-zudin-russia-1/

Mas afinal o que seria um campeão no contexto dos jogos de tabuleiro modernos? Faz sentido escolher um jogo entre milhares de jogos diferentes de confirmada qualidade? E qual seria o tipo dominante? Poderíamos escolher quem ganhasse torneios em que se jogasse um número determinado de jogos diferentes? Faria isso sentido?

Seja como for, existem campeonatos de jogos de tabuleiro modernos. Existem campeonatos de Catan e Carcassonne, só para destacar os mais conhecidos. Mas serão representativos do hobby e da indústria ou apenas uma curiosidade como tantas outras? Quem obtém bons resultados nestes torneios provavelmente defenderá a importância dos mesmos. Terá bons argumentos. Não duvido. Eu diria, mesmo assim, que têm importância relativa. Interessante, mas não preponderante para este mundo dos jogos de tabuleiro tal como se tem organizado. Tendo em conta o contexto em que nasceram os jogos de tabuleiro modernos, o aspeto de competição através de campeonatos pode ser contraditório aos valores associados à sua génese. Este assunto será tratado em tema posterior, relacionado com o nascimento dos eurogames. Talvez os campeonatos façam mais sentido para os jogos de inspiração não europeia tendencialmente mais conflituosos, ainda que os eurogames incentivem uma competição indireta pelo mérito e eficiência/criatividade. Quem sabe tudo irá mudar no futuro e o hobby tenderá para uma forte componente competitiva. Talvez falte esse aspeto para alargar ainda mais o número de utilizadores destes jogos.

Sendo os jogos de tabuleiro modernos uma industria criativa, cujo principal produto é a criatividade inerente aos próprios jogos produzidos, poderão os campeões dos jogos de tabuleiro ser os próprios designers? Os autores, do design das mecânicas de jogo e grafismo, dedicam imenso tempo aos seus jogos. Alguns demoram anos a serem desenvolvidos, continuamente aperfeiçoados e testados. Existe por parte dos designers (e editoras) um óbvio interesse comercial, mas muitos deles apenas se dedicam à atividade como paixão onde a componente monetária é pouco significativa. Por vezes é só mais um hobby ou um pequeno complemento profissional.

Então concluiria que no mundo dos jogos de tabuleiro modernos podem existir muitos campeões. Diria que os principais campeões são os utilizadores dos jogos, pois são as pessoas, com a sua ação perante os jogos, os principais componentes de um bom jogo. São as pessoas que materializam a criatividade física dos jogos. Os utilizadores estão assim, na minha opinião, quase ao mesmo nível dos designers. Já os campeões dos torneios terão o seu mérito, mas parece-me que ser coisa de outros campeonatos.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...