domingo, 8 de maio de 2016

O trio Rosenberg - Uma opinião por Edgar Bernardo

Há bichos que mordem, e o Agrícola é daqueles que quando me mordeu deixou marca. Não consigo não gostar do jogo. Foi durante muito tempo considerado a "joia da coroa" do autor Rosenberg. Não sei se o título é justo, não vou fingir conhecer todos os seus títulos ao ínfimo pormenor, tenho essa pretensão.

Quero antes falar e comparar três dos seus jogos de maior sucesso, o Agrícola, o Le Havre e o Caverna. É certo que as semelhanças entre o Caverna e o Agrícola são mais evidentes e portanto, uma comparação entre estes seria mais direta. Mas, a meu ver, e é esse o ponto central da minha argumentação, fazer um texto a comparar esses dois jogos seria como escolher entre tosta mista ou sandes mista...

Eu gosto mais de tosta mista, os ingredientes são os mesmos mas o facto de torrar o pão e derreter o queijo, apesar das calorias extra, apraz-me sem dúvida mais. Entenda-se aqui o Agrícola a tosta mista nesta analogia... Sempre que joguei Caverna sinto como uma versão "extended" do agrícola... e não extensa no melhor sentido. Mesmo na versão avançada o Agrícola é mais rápida que o Caverna, mais desafiante, mais "original".

Sim, foi o primeiro jogo que me deu a sensação de agricultor por um dia... ao passo que o Caverna, talvez por ter saído depois, me deu a sensação de anão ganancioso atrás do ouro que foi o primeiro jogo... se é que me faço entender. Se o Caverna fosse uma expansão adptada ou tivesse mecânicas que de facto me fizessem sentir um mineiro (já nem digo anão...) talvez fosse mais do meu agrado.
E o Le Havre? Gosto bem mais que o Caverna. Sim, pode ser igualmente extenso, mas é fluído, até mais que o Agrícola. Na verdade, o grande problema do Rosenber é obrigar-nos a tanto trabalho a colocar e recolocar tokens de recursos... parece um segundo emprego... em especial quando jogo com parceiros preguiçosos ou novatos e tenho de ser sempre eu a fazer o "refill" dos tokens... o que quebra o ritmo do jogo e o alonga.

No Le Havre os recursos que temos de recolocar são "fixos" e resumem-se a dois por jogada (se ignorarmos o "harvest" dos marinheiros... muita fominha deve ter passado o Rosenberg!!!). Ainda assim, o grande senão deste jogo é o tempo que leva que sempre me deixa com a sensação que aquelas duas a três horas podiam ser para jogar algo que me desse a sensação de "dever cumprido" ou ter alcançado alguma coisa.

Muito resumidamente estas são as linhas de discussão que queria deixar aqui, existiam outras que poderia ter trazido à baila mas espero que nos comentários elas surjam. Resumindo prefiro sempre um Agrícola a um Le Havre, e este a um Caverna... na verdade para quê jogar Caverna se tenho Agrícola (ou o contrário para quem prefere o oposto de mim) !?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...